Plano Diretor prioriza transporte público coletivo


O novo Plano Diretor de Goiânia prioriza, neste momento, questões relacionadas ao transporte público da Capital. De acordo com o coordenador do eixo de mobilidade e transporte do Plano Diretor de Goiânia, Sérgio Wiederhecker, o documento foi confeccionado para priorizar a manutenção de políticas de apoio ao transporte coletivo, ampliando o número de corredores exclusivos para ônibus, nos próximos anos.

Segundo o coordenador, a Prefeitura tem enfrentado resistência por parte da população durante as obras, principalmente dos comerciantes. No entanto, foi verificado que a implantação das vias gera resultados positivos. “Depois de implantado, os corredores de ônibus causam um impacto menor nos estabelecimentos comercias. Os ônibus que transitam pelo corredor exclusivo competem menos com o movimento de eventuais clientes que procuram os comércios”, afirma.

Entretanto, somente a construção de corredores não irá atrair maior número de passageiros, afirma Sérgio. Ele explica que será necessário melhorar, também, a qualidade dos ônibus por meio de outras fontes de financiamento. “Nós não detalhamos, mas fizemos uma previsão para ver como isso será feito. A gente sabe que o transporte coletivo nas grandes capitais do mundo é subsidiado”, diz.

Mobilidade e acessibilidade

No Plano Diretor, o eixo que trata sobre transporte público fala sobre estratégias de mobilidade e acessibilidade. De acordo com o documento, o objetivo é garantir o desenvolvimento urbano sustentável, acessibilidade universal, proporcionando o acesso amplo e democrático ao espaço urbano. Deve, ainda, eliminar ou reduzir a segregação espacial – quando determinadas classes sociais ficam concentradas em determinadas regiões ou bairros.

A implementação dessas questões se dá por meio das seguintes diretrizes: promoção da equidade no uso do espaço público; otimização do uso e ocupação do solo ao longo dos Eixos de Desenvolvimento estruturado no transporte público coletivo; melhoria na estruturação do sistema de mobilidade urbana; garantia do equilíbrio entre as características das vias; e estruturação física que garanta segurança, conforto e fluidez à circulação das pessoas e veículos.

Valorizar pedestres e não motorizados

O documento prevê a prio-rização do pedestre e dos demais modos de transporte não motorizados. A iniciativa deve valorizar o uso de bicicletas, por exemplo, e integrar a malha cicloviária aos modais de transporte público coletivo. De acordo com os itens descritos no documento, a intenção é universalizar o serviço de transporte público nos deslocamentos urbanos, considerando as necessidades específicas dos diversos segmentos da população e dos bairros da cidade.

Entre os objetivos citados estão o de promover a inclusão social no transporte urbano, mediante a adoção de soluções operacionais e de modelo tarifário, para o acesso das famílias de baixa renda às oportunidades da cidade. Além disso, possibilitar às pessoas com deficiência e mobilidade reduzida condições adequadas e seguras de acessibilidade ao transporte público coletivo, inclusive ampliando o atual sistema integrado de transporte para o ensino especial.

Rede viária deve ser organizada

A rede viária da Capital, conforme aponta o Plano Diretor, será parte fundamental da estrutura urbana e deve ser planejada, organizada, construída e mantida como suporte para a circulação das pessoas, bens e mercadorias na cidade, de acordo com os princípios de mobilidade sustentável.

Já os terminais, estações de integração e corredores de transporte coletivo da Capital, devem ser reformulados, fisicamente e operacionalmente, para garantir condições adequadas aos usuários.

As ações são para prevenir e mitigar os impactos causados por empreendimentos ou atividades classificados como polos geradores de tráfego ou geradores de impacto de vizinhança. Também será necessário qualificar a infraestrutura urbana, por meio da ampliação das calçadas, da implantação de fiação subterrânea e da instalação de galerias para uso compartilhado de serviços públicos. (Daniell Alves é estagiário do Jornal O Hoje sob orientação do editor de Cidades Rhudy Crysthian)

No Plano Diretor, o eixo que trata sobre transporte público fala sobre estratégias de mobilidade e acessibilidade. O objetivo é garantir o desenvolvimento urbano sustentável

Leave a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *